domingo, 10 de agosto de 2008

DIA DOS PAIS

MEU PAI NESSE DIA
NEM PRECISO FALAR
O QUE TENHO QUE ACHAR
OS OUTROS FALAM POR MIM
HOJE NUM ALMOÇO RECEBENDO
A PRESENÇA DE DOM MOZÉ,
DOS PADRES JORGE,JORGEANO E CLEONILDO
DOS FILHOS AQUI PRESENTES DOS NETOS
QUE VIERAM DEIXAR UM POUCO DO MUITO QUE RECEBERAM QUERO TE DÁ UM BEIJO
PARABÉNS PAPAI PELO SEU DIA .

POEMA DOS PAIS
Pensei que fosse fácil fazer-te um poema, papai.
Mas vejo que tua vida é um poema difícil,
que a gente não pode escrever.
Vejo os calos das mãos que contam histórias de enxadas,
caminhando pelos campos; e histórias de chinelos,
falando uma linguagem, que os filhos não entendem.
Vejo os calos dos joelhos, que contam histórias humildes de horas silenciosas,
conversadas com Deus.
Vejo as rugas da fronte que falam das rugas da alma como sulcos da terra que as chuvas abriram.
Vejo os pés cansados, rasgados por espinhos, que a gente não vê.
Vejo o calor brilhante do coração que sempre nos ama, quando ainda não sabíamos amar.
Eu me lembro de um pai, que dorme de olhos abertos pensando no filho, que não abre os olhos.
Lembro-me de um pai,Que varre o lixo das ruas,
Pensando no lixo das casas,Que não pode varrer.
Lembro-me de um pai,Que bebe suas mágoas na garrafa,
Pensando matar as mágoas da vida.
Lembro-me de papai:
É difícil fazer um poema para ti,
Que vives o poema mais lindo.

Um comentário:

ana flavia disse...

sou um fã sua da qui de manaus,mais sou de cruzeiro,meu pai é SOUZA do DEAS,ja vie o documenterido de cruzeirio ja 2 * , que estava vc é sei iarmão,eu fiquei muito emotiva, vc é um horgunho para nós, saude e pais.Sou Ana flavia. para alberan marais